sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Quem é o Meu Próximo?


Quem é o nosso próximo? A quem realmente devemos nos importar e demonstrar o nosso amor cristão?

Jesus quando aqui andou contou uma parábola muito impressionante, para mostrar quem é o próximo.

Esta parábola está relatada em Lucas 10:25-35. Nós conhecemos bem a história: Um homem viajava de Jerusalém para Jericó; ou poderia ser, viajava de São Paulo para Santos, ou Rio de Janeiro à Nova Friburgo; no caminho ele foi assaltado por marginais que além de roubarem todos seus pertences, o maltrataram cruelmente, abandonando-o muito ferido, quase à morte.

Jesus contou esta história ao um doutor, "Intérprete da Lei" (V.25) a quem demonstrava que o único caminho para a vida eterna era o: "Amar a Deus em primeiro lugar e amar o próximo como a si mesmo. A isto o doutor perguntou, "E quem é o meu próximo?"

Na história do Bom Samaritano, os indivíduos não são idendificados pelos nomes, mas caracterizados pelas funções e ações. O homem assaltado é um anônimo: talvez um viajante, um desempregado em busca de trabalho; quem sabe um bóia-fria.

Enfim, é alguém carente, desprotegido, marginalizado, sem amigos, sem dinheiro, sem família - sem ninguém - a sós no mundo, como milhões de outros por aí. Lá está ele: jogado à beira da estrada, caído na sarjeta abandonado.

Entram em cena, então aqueles que tinham a solução do problemas às mãos: Um sacerdote e um levita. Diz a Palavra de Deus: "Casualmente descia um Sacerdote por aquele mesmo caminho." (V.31)

Você perguntaria: Será que o sacerdote parou para ajudá-lo? Não! A Bíblia fala que numa atitude de completo "desamor" o sacerdote passou de lado, ou seja tentou ignorar aquela situação; procurou não envolver-se nem se incomodar com o pobre miserável.

Quem sabe o sacerdote havia trabalhado todo fim de semana; estava cansado e saudoso do lar. Queria ter o seu merecido repouso e ficar me paz, às sós. E afinal de contas o que tinha acontecido com aquele estranho não era da sua conta.

A história continua: "Semelhantemente um levita descia por aquele mesmo caminho, e vendo-o também passou de largo. (v.32)

O sacerdote nem sequer olhou para o ferido viajante. O levita, quem sabe, preocupado pois poderia ser um parente ou amigo seu, deteve-se por um instante, olhou-o, e como não o reconhecesse, passou de largo.

E lá estava o moribundo, quase a morrer. Será que ninguém se preocuparia com ele? Será que ninguém se importava? Será que ninguém tinha amor para dar?

Neste momento apareceu um estranho, um "inimigo" , ou seja um samaritano, um estrangeiro. Ora, durante cerca de 800 anos os judeus não se davam com os samaritanos, porque em 722, Salmanezer ou Sargão II, reis da Assíria tomara Samaria e substituíram seus habitantes por bailônios e sírios, que trouxeram suas tradições, crenças religiosas contrárias às dos judeus.

Os samaritanos eram inimigos, para os judeus , um foco purulento incrustado no seu território. Eram considerados como cães.

Mas, vejamos: lá estava o moribundo; ele sentiu que alguém parou, desceu da montaria e se aproximou dele. Quem seria? Oh, impossível! Era um samaritano!

E o samaritano compadeceu-se dele, curou-lhe as feridas aplicando óleo e vinho; e colocou-o em cima do seu próprio animal e o levou para uma hospedaria e tratou dele. No dia seguinte tirou dois denários e os entregou ao hospedeiro, dizendo: cuida deste e, se alguma coisa gastares a mais, e to indenizarei quando voltar.

Finalmente alguém viu o drama do homem abandonado; alguém sentiu por ele; alguém se envolveu, alguém ajudou. Por estranho que pareça, quem ajudou era um ser rejeitado, um inimigo, um cão.

Ao Jesus terminar o relato perguntou ao doutor da lei: "Qual deste três parece ter sido o próximo do homem. . ." V.36. O homem respondeu sem titubiar, "Aquele que usou de misericórdia para com ele." V.37 sua resposta estava correta.

Aqui estão algumas verdades para nós:

1. Muitos se dizem religiosos, cristãos, mas não desejam nenhum comprometimento com os probelams dos outros. Isto é negação de religião, isto é negar a Cristo.

2. Muitos julgam que devam ajudar aos seus familiares, seus parentes, colegas e amigos, e nada mais. O seu círculo de amor é muito limitado, sua atuação muito restrita.

3. Na concepção cristã, o nosso próximo não está limitado à nossa família, nossas amizades, nossa raça. Nosso próximo é todo aquele que necessita de auxílio e quem podemos ajudar.

4. A parábola nos ensina que a verdadeira religião é a prática do amor. É crer fazendo. É viver o que crê, e fazer o bem que se deve fazer. Tiago diz: "A religião pura e sem mácula, para com o nosso Deus e Pai, é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações." Tiago 1:.27

A Bíblia nos diz: "Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de todas as tuas forças e todo o teu entendimento; e amarás o teu próximo como a ti mesmo." Lucas 10:27

Quando Jesus terminou de contar esta história do bom Samaritano, disse para o doutor da lei: "Vai e procede tu de igual modo, e mais, . . . faze isto e viverás." Lucas 10:37-38.

Nesta parábola contada por Jesus, se você fosse um dos integrantes, quem seria você? O sacerdote? O levita? Ou o bom samaritano?

Agora olhe ao seu redor: Veja quantos necessitados, abandonados e carentes estão à beira da estrada, destruídos pelo pecado assaltados pelo mal.

Veja quanta ruína e tragédia! então reaja: Ajude alguém hoje! faça o bem a alguém; diga uma palavra de conforto; levante um caído, anime-o, ponha seu amor em prática.

Pr. Neumoel Stina

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Sete atitudes de ouro


1. Acordando. Decida ter um bom dia. Esta sua atitude é uma escolha.
"Este dia foi especialmente preparado pelo Senhor; vamos nos
alegrar, vamos festejar por causa dele."
(Salmos 118.24).

2. Vestindo-se. O melhor modo de se vestir é colocar um sorriso no
rosto. Não custa um centavo, mas vale mais que um milhão de reais - isto
sem falar em como vai melhorar o seu visual!
"O Senhor não vê como o homem: o homem vê a aparência, mas o Senhor
olha para o coração."
(I Samuel 16.7).

3. Calando-se. Como eu preciso desta aqui! Profira palavras
que edifiquem, não que destruam. Aprenda a ouvir. Deus nos deu dois
ouvidos e uma boca, dando-nos a entender que deveríamos ouvir o dobro do que falamos.
"Quem toma cuidado com o que diz está protegendo a sua própria
vida..."
(Provérbios 13.3).
"O mexeriqueiro espalha os segredos; por isso fique longe de
quem fala demais."
(Provérbios 20.19).

4. Posicionando-se. Defenda alguma coisa, caso contrário você
cairá por qualquer coisa.
"E não nos cansemos de fazer o bem, pois no tempo próprio
colheremos, se não desanimarmos. Portanto, enquanto temos portunidade, façamos o bem..."
(Gálatas 6.9-10).

5. Olhando para cima. Não espere estar estirado de costas para
olhar para cima. Olhe para cima, para o Senhor, sempre.
"Posso enfrentar qualquer coisa com a força que Cristo me dá."
(Filipenses 4.13).

6. Esforçando-se. Busque alcançar algo mais elevado. Pise fora
do barco com ousadia e fé e assuma o risco. Deus é com você.
"Confie no Senhor de todo o teu coração; nunca pense que sua
própria capacidade é suficiente para vencer os problemas. Em tudo
quanto for fazer, lembre-se de colocar Deus em primeiro lugar. Ele guiará os seus passos e você andará pelo caminho do sucesso."
(Provérbios 3.5-6).

7.. Elevando suas orações. Fale freqüentemente com Deus.
"Não se inquietem com nada. Apresentem a Deus todas as necessidades de vocês através da oração e da súplica, em ação de graças."
(Filipenses 4.6).

Que possamos manter estas atitudes ao longo de todo o dia!
Tenham um ótimo dia em Cristo Jesus.

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

Quatro Leis Espirituais


  • DEUS NOS AMA, E TEM UM PLANO MARAVILHOSO PARA A NOSSA VIDA.

O AMOR DE DEUS
"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna". (João 3:16)

O PLANO DE DEUS
Cristo afirma: "Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância" (uma vida plena e com propósito) (João 10:10)

Por que é que a maioria das pessoas não conhece essa "vida em abundância"?

  • O HOMEM ESTÁ SEPARADO DE DEUS

O HOMEM É PECADOR
"Pois todos pecaram e separados estão da glória de Deus" (Romanos 3:23).

O homem foi criado para ter um relacionamento perfeito com Deus, mas por causa da sua desobediência e rebelião, escolheu seguir o seu próprio caminho, e o relacionamento com Deus desfez-se. O pecado é um estado de indiferença do homem para com Deus.

O HOMEM ESTÁ SEPARADO
"Porque o salário do pecado é a morte" (separação espiritual de Deus) (Romanos 6:23

  • JESUS CRISTO É A ÚNICA PONTE QUE PODE APROXIMAR O HOMEM DE DEUS.

ELE MORREU EM NOSSO LUGAR
"Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco, pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores" (Romanos 5:8).

ELE RESSUSCITOU DENTRE OS MORTOS
"Cristo morreu pelos nossos pecados... foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras." (I Coríntios 15:3, 4).

ELE É O ÚNICO CAMINHO
"Respondeu-lhe Jesus: "Eu sou o caminho e a verdade, e a vida: ninguém vem ao Pai senão por mim" (João 14:6).

Deus ligou o abismo que nos separa dele, ao enviar o seu Filho, Jesus Cristo, para morrer na cruz em nosso lugar.

  • PRECISAMOS RECEBER JESUS CRISTO COMO NOSSO SALVADOR E SENHOR.

PRECISAMOS RECEBER CRISTO
"Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus; a saber; aos que crêem no seu nome" (João 1:12).

RECEBEMOS CRISTO PELA FÉ
"Porque pela graça sois salvos; mediante a fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus; não das obras, para que ninguém se glorie" (Efésios 2:8-9).

RECEBEMOS CRISTO POR MEIO DE UM CONVITE PESSOAL
Cristo afirma: "Eis que estou à porta, e bato: se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa" (Apocalipse 3:20).

Receber Cristo significa convidá-lo a entrar na nossa vida e a perdoar nossos pecados.

Como receber Jesus Cristo como Senhor e Salvador?

Deus conhece o seu coração e está mais interessado na atitude do seu coração do que nas suas palavras. A oração seguinte serve como exemplo:

"Senhor Jesus, eu preciso de ti. Abro a porta da minha vida e te recebo como meu Salvador e Senhor. Toma conta da minha vida. Te agradeço porque perdoas os meus pecados e me aceitas como sou."

Esta oração expressa o desejo do seu coração?

Se assim for, faça-a agora mesmo e Cristo entrará em sua vida, como prometeu.

Escrito pelo Dr. Willian R. Bright.



terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Um anjo em minha vida


No mês de agosto de 2001, Mosh, um bem sucedido empresário judeu, viajou para Israel a negócios. Na quinta feira, dia nove, entre uma reunião e outra, o empresário aproveitou para ir fazer um lanche rápido em uma pizzaria na esquina das ruas Yafo e Mêlech George no centro de Jerusalém.

O estabelecimento estava superlotado e logo ao entrar na pizzaria, Mosh percebeu que teria que esperar muito tempo numa enorme fila, se realmente desejasse comer alguma coisa - mas ele não dispunha de tanto tempo. Indeciso e impaciente, pôs-se a ziguezaguear por perto do balcão de pedidos, esperando que alguma solução caísse do céu.

Percebendo a angústia do estrangeiro, um israelense perguntou-lhe se ele aceitaria entrar na fila na sua frente. Mais do que agradecido, Mosh aceitou. Fez seu pedido, comeu rapidamente e saiu em direção à sua próxima reunião. Menos de dois minutos após ter saído, ele ouviu um estrondo aterrorizador. Assustado, perguntou a um rapaz que vinha pelo mesmo caminho que ele acabara de percorrer o que acontecera. O jovem disse que um homem-bomba acabara de detonar uma bomba na pizzaria Sbarro's.

Mosh ficou branco. Por apenas dois minutos ele escapara do atentado. Imediatamente lembrou do homem que lhe oferecera o lugar na fila. Certamente ele ainda estava na pizzaria. Aquele sujeito salvara a sua vida e agora poderia estar morto. Atemorizado, correu para o local do atentado para verificar se aquele homem necessitava de ajuda, mas encontrou uma situação caótica no local.

A Jihad Islâmica enchera a bomba do suicida com milhares de pregos para aumentar seu poder destrutivo. Além do terrorista, de vinte e três anos, outras dezoito pessoas morreram, sendo seis crianças. Cerca de outras noventa pessoas ficaram feridas, algumas em condições críticas. As cadeiras do restaurante estavam espalhadas pela calçada. Pessoas gritavam e acotovelavam-se na rua, algumas em pânico, outras tentando ajudar de alguma forma. Entre feridos e mortos estendidos pelo chão, vítimas ensangüentadas eram socorridas por policiais e voluntários. Uma mulher com um bebê coberto de sangue implorava por ajuda.

Mosh procurou seu "salvador" entre as sirenes sem fim, mas não conseguiu encontrá-lo. Ele decidiu que tentaria de todas as formas saber o que acontecera com o israelense que lhe salvara a vida. Precisava saber o que acontecera, se ele precisava de alguma ajuda e, acima de tudo, agradecer-lhe por sua vida. O senso de gratidão fez com que esquecesse da importante reunião que o aguardava.

Ele começou a percorrer os hospitais da região, para onde tinham sido levados os feridos no atentado. Finalmente encontrou o israelense num leito de um dos hospitais. Ele estava ferido, mas não corria risco de vida. Mosh conversou com o filho daquele homem, que já estava acompanhando seu pai, e contou tudo o que acontecera. Disse que faria tudo que fosse preciso por ele. Que estava extremamente grato àquele homem e que lhe devia sua vida. Depois de alguns momentos, Mosh se despediu do rapaz e deixou seu cartão com ele. Caso seu pai necessitasse de qualquer tipo de ajuda, o jovem não deveria hesitar em comunicá-lo.

Quase um mês depois, Mosh recebeu um telefonema em seu escritório em Nova Iorque daquele rapaz, contando que seu pai precisava de uma operação de emergência. Segundo especialistas, o melhor hospital para fazer aquela delicada cirurgia fica em Boston, Massachussets. Mosh não hesitou. Arrumou tudo para que a cirurgia fosse realizada dentro de poucos dias. Além disso, fez questão de ir pessoalmente receber e acompanhar seu amigo em Boston, que fica a uma hora de avião de Nova Iorque.

Talvez outra pessoa não tivesse feito tantos esforços apenas pelo senso de gratidão. Outra pessoa poderia ter dito:

- "Afinal, ele não teve intenção de salvar a minha vida: apenas me ofereceu um lugar na fila."

Mas não Mosh. Ele se sentia profundamente grato, mesmo um mês após o atentado. E ele sabia como retribuir um favor. Naquela manhã de terça-feira, ele foi pessoalmente acompanhar seu amigo e deixou de ir trabalhar. Sendo assim, pouco antes das nove horas da manhã, naquele dia onze de setembro de 2001. Mosh não estava no seu escritório no 101º andar do World Trade Center Twin Towers.


"Faça algo de bom a alguém e o universo inteiro conspirará para ajudá-lo."

Fonte: http://www.mdig.com.br/index.php?itemid=2096

domingo, 10 de fevereiro de 2008

A cura pelo perdão


Pesquisas e estudos vêm comprovando os benefícios, tanto mentais quanto físicos, do ato de perdoar. Entrevistamos o Dr. Fred Luskin, autor de O Poder do Perdão, que estuda o assunto há mais de quatro anos.
Camilla Salmazi

Segundo o dicionário (Dicionário Michaelis) a palavra perdão significa “conceder perdão, absorver, remitir (culpa, dívida, pena, etc), desculpar e poupar-se”. Sim! O ato de perdoar envolve tudo isso e ainda muito mais. Pesquisas e estudos vêm sendo desenvolvidos nesses últimos anos para mostra e comprovar o poder e os benefícios do perdão.

Porém, não é justo dizer que somente agora o mundo está se dando conta do poder do perdão. No aspecto científico, talvez, mas crença e religiões já pregam a importância do perdão há muitos e muitos anos, principalmente como um ato importante para a saúde do espírito.

No ano passado, Charlotte Van Oyen Witvliet, professora de psicologia do Hope College, em Michigan, EUA, e seus colega, fizeram uma experiência com 71 voluntários. Nela, foi pedido a eles que se lembrassem de alguma ferida antiga, algo que os tivesse feito sofrer. Nesse instante, foi registrado o aumento da pressão sanguínea, dos batimentos cardíacos e da tensão muscular, reações idênticas às que ocorrem quando as pessoas sentem raiva. E quando foi pedido que eles se imaginasse entendendo e perdoando as pessoas que lhes haviam feito mal, eles se mostraram mais calmos, e com pressão e batimentos menores.

A questão principal, porém, é que o nato de perdoar não é uma das tarefas mais fáceis para nós, seres humanos. Tribos, sociedades, países, famílias e amigos já travaram e ainda travam batalhas, e verdadeiras guerras, por causa de diferenças entre as pessoas, ou devido a algum ato que desagradasse ou prejudicasse, espalhando pelo mundo ainda mais rancor e nem um pouco de paz. Mas o perdão não é impossível, nem mesmo nos casos mais graves, como vem tentando comprovar o Dr. Fred Luskin, autor de O Poder do Perdão e doutor em aconselhamento clínico e psicologia da saúde pela universidade de Stanford.

Após ter sido muito magoado por um grande amigo, Luskin conseguiu, sozinho, achar uma forma de perdoar-lhe, e quis investigar se a sua técnica funcionaria com outras pessoas em casos semelhantes ou em casos mais graves. E desde então, deu início a suas pesquisas.

EM 1999, ELE CRIOU O PROJETO DA UNIVERSIDADE DE STANFORD PARA O PERDÃO, tendo combinado em sua pesquisa dissertativa uma técnica psicoterapêutica, focando e emotividade racional, com alguns estudos sobre o impacto das emoções negativas, como raiva, magoa e ressentimento no sistema cardíaco.
Suas técnicas foram aplicadas em várias experiências, sendo uma delas com dois grupos de pessoas que foram atingidas pelos conflitos entre protestantes e católicos, na Irlanda: um grupo, de mães que tiveram seus filhos mortos; outro, de homens e mulheres que perderam algum parente. Para esse projeto, Luskin contou com a cooperação de Carl Thoreses, PhD em Psicologia, e contou com o apoio de uma militante irlandesa que há trinta anos trabalha pela paz em seu país.

Os participantes foram separados em grupos experimentais e supervisionados, e passaram seis semanas tendo aulas sobre as técnicas de perdão de Luskin. Os primeiros resultados, segundo Thoresen, indicaram que os participantes apresentavam redução do nível de estresse, viam-se menos irados e mais confiantes de que, no futuro, eles perdoariam mais e mais facilmente. Além disso, o estudo mostrou que o perdão pode promover uma melhora na saúde física, pois esse grupo de pessoas apresentou uma diminuição significante em sintomas como dores no peito, na coluna, náuseas, dores de cabeça, insônia e perda de apetite. Luskin e Thoresen afirmam que essa melhora psicológica e física persiste pelo menos por quatro meses; em alguns casos, ao longo desses quatro meses, a melhora continua a progredir.

Luskin descreve o perdão como sendo uma forma de se atingir a calma e a paz, tanto com o outro quanto consigo mesmo. A terapia que ele propõe encoraja as pessoas a terem maior responsabilidade sobre suas emoções e ações, e serem mais realistas sobre os desafios e quedas de suas vidas.
Em O Poder do Perdão, ele explica p processo de formação de uma mágoa e demonstra como tal fato possui um efeito paralisante na vida das pessoas, baseado suas afirmações em suas investigações e pesquisas, principalmente em seu Projeto da Universidade de Stanford para o Perdão. Por meio de nove etapas (ver Box), o autor ensina a sua técnica de perdão.

Nessa entrevista exclusiva para a Sexto sentido, Luskin apresenta suas idéias sobre o ato de perdoar, e tudo o que está envolvido nesse processo.

Como pode ser definido, de fato, o ato de perdoar?

É simples. Perdoar é a arte de fazer as pazes quando algo não acontece como queríamos. Dizermos que é fazer as pazes com a palavra NÃO.

O acúmulo de mágoas pode causar problemas físicos e psicológicos?

Claro... rancor e desesperança são particularmente perigosos para o bem-estar. A vida tem dificuldades freqüentes. Precisamos de um caminho para superá-las e, assim, nos libertarmos... é para isso que existe o perdão.

E o perdão pode ser considerado como uma cura para doença físicas e mentais advindas de problemas emocionais ou psicológicos?

O perdão reduz a agitação que leva a problemas físicos. Perdoar reduz o estresse que vem de pensar em algo doloroso, mas não pode ser mudado. Ele também limita a ruminação que leva a sentimento de impotência que reduzem a capacidade de alguém cuidar de si mesmo. O perdão é uma cura... às vezes. Ajuda? Sim, muitas vezes.

É possível que pessoas possa perdoar alguém, mesmo ainda estando irada ou magoada com ela?

A diminuição da ira e de mágoa vem de se vivenciar o perdão. O perdão é a experiência interior de se recuperar a paz e o bem-estar. Pode acontece de alguém perdoar um dia, e a raiva volta depois, e isso é normal. Dessa forma, o perdão é um processo que deve ser praticado. Se você permanece falando ou pensando com rancor de alguém, então o perdão ainda não aconteceu.

Existe um momento certo para dar início ao processo do perdão?

O momento é logo depois do tempo necessário para vivenciar a perda.

Se a pessoa perdoar, ela pode ficar com a sensação de que a pessoa perdoada estava com a razão, ou com a sensação de que um direito seu foi atingido. Como afastar ou ultrapassar essa idéia?

Às vezes, a pessoa foi realmente prejudicada. O perdão não elimina esse fato; apenas o torna menos importante. O perdão implica que se pode ficar em paz mesmo tendo sofrido um mal. Não podemos escapa de todos os males, faz a pessoa continuar intranqüila porque o problema ainda persiste. O perdão reconhece o mal, mas permite que o prejudicado leve a vida em frente. O perdão pode conviver com a justiça e não impede que se faça as coisas justas ou adequadas. Você apenas não as faz de uma perspectiva rancorosa ou transtornada.

Quando a pessoa se encontra num “processo” de perdoar alguém, pode acontecer dela perceber que ela mesma também tem culpa na situação e pode ter causado algum mal ao outro. Como ela deve agir num caso desses?

Muitas situações são complexas e não se pode simplesmente distinguir nelas uma pessoa boa e uma ruim, mas sim duas pessoas que criaram juntas uma situação difícil. É bom lembrar que o perdão pode ser estendido à própria pessoa e que, ás vezes, o perdão implica em reconciliar um relacionamento, e outras vezes, em abrir mão desse relacionamento.

Como a falta de perdão pode prejudicar as pessoas?

A ausência de perdão causa estresse sempre que se pensa em alguém que nos feriu e com quem não fizemos as pazes. Isso prejudica o corpo e provoca emoções negativas.

Como foi idealizado o Projeto do Perdão?

Eu fui seriamente magoado por um amigo próximo, e tive de encontrar sozinho uma forma de me recuperar. Quando consegui, resolvi verificar se isso funcionava com outras pessoas. Foi o começo do meu primeiro projeto de pesquisa.

Essas descobertas são universais, aplicáveis a todos os grupos de sociedades?

Até o momento, a pesquisa que eu e outros temos conduzido sugere que o perdão tem valor em dificuldades muito variadas; podem envolver esposas ou maridos que enganam maridos ou esposas, crianças que sofreram abuso, sócios fraudulento e até pessoas que tiveram seus filhos assassinados. Também trabalhamos com uma grande variedade de nacionalidade aqui em São Francisco e região e tivermos bons resultados.

Existem outros cientistas no mundo realizando o mesmo tipo de pesquisa?

Existem alguns que pesquisam o ensina do perdão, como nós. Outros pesquisam as características que tornam as pessoas mais propensas ao perdão, e outros tentam entender como o perdão pode ser benéfico à saúde.


OS NOVE PASSOS DO PERDÃO - Segundo o Dr. Fred Luskin

1. Saiba exatamente como você se sente sobre o que ocorreu e seja capaz de expressar o que há de errado na situação. Então, relate a sua experiência a umas duas pessoas de confiança.

2. Compromete-se consigo mesmo a fazer o que for preciso para se sentir melhor. O ato de perdoar é para você e ninguém mais. Ninguém mais precisa saber sua decisão.

3. Entenda seu objetivo. Perdoar não significa necessariamente reconciliar-se com a pessoa que o perturbou, nem se tornar cúmplice dela. O que você procura é paz.

4. Tenha uma perspectiva correta dos acontecimentos. Reconheça que o seu aborrecimento vem dos sentimentos negativos e desconforto físico de que você sofra agora, e não daquilo que o ofendeu ou agrediu dois minutos - ou dez anos - atrás.

5. No momento em que você se sentir aflito, pratique técnicas de controle de estresse para atenuar os mecanismo de seu corpo.

6. Desista de espera, de outras pessoas ou de sua vida, coisa que elas não escolheram dar a você. Reconheça as “regras não cobráveis” que você tem para sua saúde ou para o comportamento seu e dos outros. Lembre a si mesmo que você pode esperar saúde, amizade e prosperidade e se esforçar para consegui-los. Porém você sofrerá se exigir que essa coisa aconteçam quando você não tem o pode de fazê-las acontecer.

7. Coloque sua energia em tenta alcançar seus objetivos positivos por um meio que não seja através de experiência que o feriu. Em vez de reprisar mentalmente sua mágoa, procure outros caminhos para seus fins.

8. Lembre-se de que uma vida bem vivida é a sua melhor vingança. Em vez de se concentrar nas suas mágoas – o que daria poder sobre você à pessoa que o magoou – aprenda a busca o amor, a beleza e a bondade ao seu redor.

9. Modifique a sua história de ressentimento de forma que ela o lembre da escolha heróicas que é perdoar. Passe de vítima a herói na história que você contar.

O Poder do Perdão
Dr. Fred Luskin
W11 Editores
Site: www.learningtoforgive.com

Grupo Logos - Situações

Quando estiver em dificuldades, ouça está música
que traz uma bela mensagem de consolo.

Situações

Composição: Paulo Cezar

Situações nessa vida me fazem sentir
Que não sou forte a ponto de até resistir
Nestes terríveis momentos, os maus pensamentos me querem levar
A um extremo de vida que meu equlíbrio se deixa enganar

Instantes que se prolongam, tentando mudar
Tudo o que já se fez de novo, pois Cristo mudou
Tentando hoje trazer o que eu tento esquecer
Sou vencedor e niguém poderá me deter

Pois eu sei que jamais eu provado serei
Além do que eu possa suportar
E se, ainda, eu cair e pensar que é o fim
Jesus me ergue e segue junto a mim

Jesus me ergue e segue, sim
Jesus me ergue e segue, sim
Jesus me ergue e segue junto a mim

Grupo Logos - Portas abertas

Para os filhos que estão longe do Pai.

Meditem nesta linda letra e melodia...

Portas Abertas

Composição: Paulo Cezar

Ontem deixou sua casa e saiu pelo mundo
De coração, lá no fundo, eu não entendi
Tudo o que fiz... o que ele quis...
Meus braços abertos ficaram e ainda estão assim
E vão continuar até um dia vê-lo regressar.
Posso pensar no que o mundo lhe tem preparado
Sei privações tem passado e tudo por quê?
Falsos amigos por aí. Conselhos vazios, mas cheios de palavras vãs,
De grande ilusão! Mentiram ao seu jovem coração!

Refrão:
Mas nunca é tarde não! Sai da escuridão!
Há novo dia, nova manhã!
A mesma casa tem portas abertas,
Pessoas certas, amigos e irmãos.

Parece sonho, mas nem a distância me engana
O coração de quem ama não pode esquecer
Seus passos fracos, tropeções,
Seus olhos rebrilham e choram:
"Pai, eu sei que errei, mas vim para acertar
Permita-me de novo aqui ficar!"

Refrão

"Pai, só lamento que, onde passei, via muitos filhos
Sem rumo, sem teto e carentes de amor.
Que o Senhor lhes dê a mão,
Lhes mostre de novo o caminho
Para um renascer, um novo proceder,
Na mais perfeita e bela comunhão!" (nunca é tarde não...)

Pegadas na Areia


Uma noite eu tive um sonho... Sonhei que estava andando na praia com o Senhor, e através do céu, passavam cenas da minha vida. Para cada cena que se passava, percebi que eram deixados dois pares de pegadas na areia, um era meu e outro era do Senhor.
Quando a ultima cena da minha vida passou diante de nós, olhei para traz, para as pegadas na areia, e notei que muitas vezes no caminho da vida havia apenas um par de pegadas na areia. Notei também que istoaconteceu nos momentos mais difíceis e angustiosos do meu viver. Isso aborreceu-me, então perguntei ao
Senhor:
- Senhor, Tu me disseste que uma vez que resolvi te seguir, Tu andarias sempre comigo, em todo o meu caminho, mas notei que durante as maiores tribulações do meu viver, havia apenas um par de pegadas na areia. Não compreendo porque nas horas em que necessitava de Ti, tu me deixastes...
O Senhor respondeu:
- Meu precioso filho, Eu Te Amo e jamais te deixaria nas horas de tua prova e de teu sofrimento. Quando vistes na areia apenas um par de pegadas, foi exatamente aí, que Eu te carreguei nos braços.
Autor desconhecido

Diferença entre membro da Igreja e discípulo de Jesus


Parece o mesmo, mas infelizmente não é!

Há diferença entre um membro da igreja e discípulo de Jesus!

O membro espera pães e peixes, o discípulo é pescador.

O membro espera luta por crescer, o discípulo se reproduz.

O membro vale porque soma, o discípulo vale porque multiplica.

O membro acha que o sermão devia ser mais evangelístico, o discípulo prega o Evangelho do Senhor Jesus Cristo.

O membro gosta de afago, o discípulo gosta do serviço e do sacrifício pela causa de Cristo.

O membro se ganha, o discípulo se faz.

O membro entrega parte de seus desejos, o discípulo entrega toda sua vida.

O membro é contribuinte, o discípulo é dizimista e ofertante.

O membro espera que lhe apontem a tarefa, o discípulo toma a responsabilidade para si.

O membro quase sempre murmura e reclama, o discípulo é obediente e nega-se a si mesmo.

O membro reclama que o visitem, o discípulo visita.

O membro vê o problema, o discípulo ora pelo problema e busca ser parte da solução.

O membro sonha com a Igreja ideal, o discípulo se entrega para fazer a Igreja real.

O membro diz: “Que bonito!”, o discípulo diz: “Eis-me aqui Senhor!”.

O membro deseja ter luz para enxergar o caminho, o discípulo é a luz do mundo.

O membro deseja uma Igreja vibrante, o discípulo é parte e promotor dela.

O membro espera pães e peixes, o discípulo é pescador.

O membro da Igreja sabe que Deus está nele, o discípulo sabe que deus está nele para o outro.

O membro é um soldado de defesa, o discípulo é um invasor da defesa inimiga.

O membro é condicionado pelas circunstâncias, o discípulo as aproveita para exercer a fé.

O membro solicita orações pelas suas necessidades, o discípulo tem uma vida de oração.

O membro deseja um culto mais envolvente, o discípulo adora Jesus Cristo como Senhor.

O membro entende que a Igreja é a casa do Pai, o discípulo faz de sua casa um santuário de Deus e de sua vida um altar de adoração.

O membro esta envolvido na “política eclesiástica”, o discípulo está envolvido com a palavra de Deus.

O membro da Igreja é valioso, o discípulo de Jesus é indispensável.

O membro nem sempre é discípulo, mas o discípulo sempre é Igreja.

Responda sinceramente para você mesmo e diante de Deus: Você tem sido um membro de Igreja ou um discípulo?

Reflexão do Pastor: Ronan Amorim (extraído da pastoral do boletim dominical da IMBB)

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

Curiosidades bíblicas


1. Quais os livros da Bíblia que tem apenas 1 capítulo ?
R: Obadias, Filemom, II João, III João e Judas.

2. Quais os livros da Bíblia que terminam com um ponto de interrogação ?
R: Lamentações, Jonas e Naum.

3. Qual o menor livro da Bíblia ?
R: II João (possui somente 13 versículos).

4. Qual o maior livro da Bíblia ?
R: Salmos (possui 150 capítulos).

5. Qual o menor capítulo da Bíblia ?
R: Salmo 117 (possui 2 versículos).

6. Qual o maior capítulo da Bíblia ?
R: Salmo 119 (possui 176 versículos).

7. Qual o menor versículo da Bíblia ?
R: Jó 3:2 (possui 07 letras).

8. Qual o maior versículo da Bíblia ?
R: Ester 8:9 (possui 415 caracteres).

9. Quantas palavras a Bíblia contêm aproximadamente ?
R: 773.693 palavras.

10. Quantas letras a Bíblia contêm aproximadamente ?
R: 3.566.480 letras.

11. Quantos capítulos e quantos versículos a Bíblia possui ?
R: 1.189 capitulos e 31.102 versículos.

12. Em quais os livros da Bíblia não encontramos a palavra Deus ?
R: Ester e Cantares de Salomão.

13. Quem foi o primeiro bígamo citado na Bíblia e quais eram os nomes das esposas ?
R: Lameque. Ada e Zilá. Gênesis 4:19.

14. Quem foi o pai dos que habitam em tendas e possuem gado ?
R: Jabal. Gênesis 4:20.

15. Quem foi o pai de todos os que tocam harpa e flauta ?
R: Jubal. Gênesis 4:21.

16. Quem era rei e sacerdote ao mesmo tempo ?
R: Melquisedeque. Gênesis 14:18.

17. Qual é a única mulher cuja idade é mencionada na Bíblia ?
R: Sara. Gênesis 23:1.

18. Onde lemos na Bíblia de camelos se ajoelhando ?
R: Gênesis 24:11.

19. Quais os nomes dos filhos de Abraão ?
R: Zinrá, Jocsã, Medã, Midiã, Jisbaque, Sua (filhos de Quetura), Isaque (filho de Sara) e Ismael (filho de Hagar). Gênesis 25:2,9.

20. Qual a mãe que recebeu um salário para criar o seu próprio filho ?
R: Joquebede, mãe de Moisés. Êxodo 2:8,9,10.

21. Qual o nome do homem acusado por sua esposa de derramar sangue ?
R: Moisés. Êxodo 4:24,25.

22. Qual o sobrinho que se casou com a sua tia ?
R: Anrão, pai de Moisés. Êxodo 6:20.

23. Onde se lê na Bíblia que as águas, por serem amargas, não serviam para consumo, porém tornaram-se doces depois ?
R: Êxodo 15:23,24,25.

24. Onde se encontra a lei, por meio da qual um escravo ganhava liberdade por perder um dente ?
R: Êxodo 21:27.

25. Onde se lê na Bíblia que os israelitas foram advertidos para obedecerem a um Anjo ?
R: Êxodo 23-20,21.

26. Qual o rei teve os seus inimigos abençoados pelo profeta que ele tinha chamado para os amaldiçoar ?
R: Balaque, rei de Moabe. Números 22-5,6,12 + Números 23:11,12.

27. Qual o cavaleiro que teve o seu pé imprensado contra o muro?
R: Balaão. Números 22:25.

- A Bíblia se divide em duas partes: Antigo Testamento e Novo Testamento. Tem 66 livros, sendo 39 no Antigo Testamento e 27 no Novo Testamento.

- O Salmo 119 tem, em hebraico, 22 seções de oito versículos. Cada uma das seções inicia com uma letra do alfabeto hebraico, de 22 letras. Dentro das seções, cada versículo inicia com a letra da seção.

- Que "o caminho de um sábado" era o caminho permitido no dia de sábado; a distância que ia da extremidade do arraial das tribos ao tabernáculo, quando no deserto, isto é, cerca de 1.200 metros. - O capítulo 19 de II Reis é igual ao 37 de Isaías.

- No livro Lamentação de Jeremias, os capítulos 1, 2 e 4 têm versículos em número de 22 cada, compreendendo as letras do alfabeto hebraico. O capítulo 3 tem 66 versículos, levando cada três deles, em hebraico, a mesma letra do alfabeto.

- A menor Bíblia existente foi impressa na Inglaterra e pesa somente 20 gramas. Este fabuloso exemplar da Bíblia mede 4,5 cm de comprimento, 3 cm de largura e 2 cm de espessura. Apesar de ser tão pequenina, contém 878 páginas, possui uma séria de gravuras ilustrativas e pode ser lida com o auxílio de uma lente.

- A maior Bíblia que se conhece, contém 8.048 páginas, pesa 547 quilos e tem 2,5 metros de espessura. Foi confeccionada por um marceneiro de Los Angeles, durante dois anos de trabalho ininterrupto. Cada página é uma delgada tábua de 1 metro de altura, em cuja superfície estão gravados os textos.

- Vamos Ler a Bíblia ? A Bíblia contém 31.000 versículos e 1.189 capítulos. Para sua leitura completa, são necessárias 49 horas, a saber, 38 horas para a leitura do Velho Testamento e 11 horas para a do Novo Testamento. Para lê-la audivelmente, em velocidade normal de fala, são necessárias cerca de 71 horas. Se você deseja lê-la em 1 ano, deve ler apenas 4 capítulos por dia.

- Tradução: Você sabia que das 2.000 líguas e dialetos falados no mundo, cerca de 1.200 já possuem a Bíblia ou textos bíblicos traduzidos?

- O nome "Bíblia" vem do grego "Biblos", nome da casca de um papiro do século XI a.C.. Os primeiros a usar a palavra "Bíblia" para designar as Escrituras Sagradas foram os discípulos do Cristo, no século II d.C.;

- Ao comparar as diferentes cópias do texto da Bíblia entre si e com os originais disponíveis, menos de 1% do texto apresentou dúvidas ou variações, portanto, 99% do texto da Bíblia é puro. Vale lembrar que o mesmo método (crítica textual) é usado para avaliar outros documentos históricos, como a Ilíada de Homero, por exemplo;

- É o livro mais vendido do mundo. Estima-se que foram vendidos 11 milhões de exemplares na versão integral, 12 milhões de Novos Testamentos e ainda 400 milhões de brochuras com extratos dos textos originais;

- Foi a primeira obra impressa por Gutenberg, em seu recém inventado prelo manual, que dispensava as cópias manuscritas;

- A divisão em capítulos foi introduzida pelo professor universitário parisiense Stephen Langton, em 1227, que viria a ser eleito bispo de Cantuária pouco tempo depois. A divisão em versículos foi introduzida em 1551, pelo impressor parisiense Robert Stephanus. Ambas as divisões tinham por objetivo facilitar a consulta e as citações bíblicas, e foi aceita por todos, incluindo os judeus;

- A Bíblia foi escrita e reproduzida em diversos materiais, de acordo com a época e cultura das regiões, utilizando tábuas de barro, peles, papiro e até mesmo cacos de cerâmica;

- Com exceção de alguns textos do livro de Ester e de Daniel, os textos originais do Antigo Testamento foram escritos em hebraico, uma língua da família das línguas semíticas, caracterizada pela predominância de consoantes;

- A palavra "Hebraico" vem de "Hebrom", região de Canaã que foi habitada pelo patriarca Abraão em sua peregrinação, vindo da terra de Ur;

- Os 39 livros que compõem o Antigo Testamento (sem a inclusão dos apócrifos) estavam compilados desde cerca de 400 a.C., sendo aceitos pelo cânon Judaico, e também pelos Protestantes, Católicos Ortodoxos, Igreja Católica Russa, e parte da Igreja Católica tradicional;

- A primeira Bíblia em português foi impressa em 1748. A tradução foi feita a partir da Vulgata Latina e iniciou-se com D. Diniz (1279-1325).

- A primeira citação da redondeza da terra confirmava a idéia de Galileu, de um planeta esférico. Bastava que os descobridores conhecessem a bíblia. (Isaías 40:22)

- Davi, além de poeta, músico e cantor foi o inventor de diversos instrumentos musicais. (Amós 6:5)

- O tio e a tia de Jesus se tornaram "crentes" na sua pregação antes de sua crucificação. (Lucas 24:13:18, João19:25)

-O nome "cristão" só aparece três vezes na Bíblia. (Atos 11:26, Atos 26:28 e I Pedro 4:16)

- A "Epístola da Alegria" , a carta de Paulo aos Filipenses, foi escrita na prisão e as expressões de alegria aparecem 21 vezes na epístola.

- Quem dá aos pobres, empresta a Deus, e Ele lhe pagará. (Provérbios 19: 17)

- O trânsito pesado e veloz, os cruzamentos e os faróis acesos aparecem descritos exatamente como nos dias de hoje. (Naum 2:4)

- A mensagem através de "out-doors" é uma citação bíblica detalhada. (Habacuque 2:2)

- Quem cortou o cabelo de Sansão não foi Dalila, mas um homem. (Juízes 16: 19)

- O nome mais comprido e estranho de toda a bíblia é Maersalalhasbas - filho de Isaias.
(Isaías 8:3-4)

- Você sabia que a palavra fé é encontrada apenas quatro vezes no Antigo Testamento?
(Hc 2:4; Jz 9:16, 9:19; e 1Sm 21:5)

- Você sabia que a palavra "DEUS" aparece 2.658 vezes no V.T. e 1.170 vezes no N.T. num total de 3.828 vezes??

- Há na Bíblia 177 menções ao diabo em seus vários nomes.

- O versículo central da Bíblia é o Salmo cap: 118 ver:8, o qual divide a mesma ao meio.

- A expressão "Assim diz o Senhor" e equivalentes encontram-se cerca de 3.800 vezes na Bíblia.

- A Vinda do Senhor é referida 1845 vezes na Bíblia, sendo 1.527 no Antigo Testamento e 318 no

Novo Testamento.

- A Palavra "Senhor" é encontrada na Bíblia 1.853 vezes e "Jeová (YHVH)" 6.855 vezes.

- A expressão "Não Temas!" é encontrada 366 vezes na Bíblia, o que dá uma para cada dia do ano!

- No Salmo 107 há 4 versículos iguais: 8, 15, 21 e o 31.

- Todos os versículos do Salmo 136 terminam da mesma maneira.

- Para aprender mais, LEIA A BÍBLIA!

A Classe Social de Jesus


Os cristãos acreditam que Jesus é, segundo João 1,14, a Palavra de Deus feita carne, mas raramente perguntam a que classe social ou econômica essa carne pertencia. Diante da fama adulta de Jesus, os vizinhos em sua aldeia nativa de Nazaré fazem uma dupla pergunta, segundo Marcos 6,3:
“Não é este o carpinteiro, o filho de Maria, irmão de Tiago, Joset, Judas e Simão? E as suas irmãs não estão aqui entre nós?”
Mateus 13,55-56 ...:
“Não é ele o filho do carpinteiro? Não se chama a mãe dele Maria e os seus irmãos Tiago, José, Simão e Judas? E as suas irmãs não vivem todas entre nós? Donde então
lhe vem todas estas coisas?"
Se lemos “carpinteiro” com Marcos ou “filho do carpinteiro” com Mateus, isto pouca diferença faz em um mundo em que os filhos geralmente seguiam as profissões dos pais. Mas qual era exatamente a classe social ou econômica de um tektõn, aqui traduzido como “carpinteiro”? O problema imediato é evitar a interpretação do termo como carpinteiro em termos modernos como qualificado, bem pago e respeitado membro da classe média. Mas o único modo de fazer isto efetivamente é disciplinar nossa imaginação com história social e antropologia intercultural.
Ramsay MacMullen observou que a linhagem social de uma pessoa podia ser facilmente conhecida no mundo greco-romano e que uma referência como “carpinteiro” indicava status de classe inferior (1). No fim de seu livro, ele apresenta um “léxico de Esnobismos”, com termos usados por autores greco-romanos cultos e portanto da classe superior para indicar seu preconceito contra pessoas incultas e portanto de classe inferior. Entre estes termos está tektõn, ou carpinteiro, o mesmo termo usado para Jesus em Marcos 6,3 e para José em Mateus 13,55. Não se poderia, naturalmente, sequer supor que os escárnios da classe alta ditassem como as classes inferiores de fato se sentiam. Mas, em geral, a grande divisão no mundo greco-romano era entre aqueles que tinham que trabalhar com as mãos e aqueles que não.
Um estudo anterior de Gerhard Lenski ajuda a situar tudo isto em um arcabouço de referência intercultural mais amplo(2). Ele divide as sociedades humanas, por tecnologia e ecologia, em sociedades coletoras e caçadoras, horticultoras simples, horticultoras avançadas, agrárias e industriais. O império romano era uma sociedade agrária, caracterizada pela forja de arados de ferro, arreamento de tração animal e uso de roda e vela para transportar produtos. Caracterizava também por um abismo que separava as classes altas e baixas. De um lado desta grande divisão estavam os Governantes, que constituíam 1% da população, mas possuíam pelo menos metade da terra. Também deste lado estavam três outras classes, os Sacerdotes: que podiam possuir até 15% da terra; os Arrendatários, que iam de generais a burocratas especializados; e os Mercadores, que provavelmente ascendiam a partir das classes baixas, mas que podiam chegar a ter considerável riqueza e mesmo algum poder político. Do outro lado estavam, acima de tudo, os Camponeses – essa vasta maioria da população de cuja colheita cerca de dois terços sustentavam as classes altas. Se tivessem sorte, viviam no nível da subsistência, apenas em condições de sustentar a família, animais e obrigações sociais, e ainda tinham o suficiente para o suprimento de semente do ano seguinte. Se não tivessem sorte, a seca, a dívida, a doença ou a morte expulsavam-nos de sua própria terra, para a meia, o arrendamento ou ainda pior. Em seguida vem os Artesãos, cerca de 5% da população, abaixo dos Camponeses em termos de classe social porque em geral eram recrutados e reabastecidos entre seus membros desalojados. Abaixo deles estavam as classes Degradadas e Dispensáveis – as primeiras com origens, ocupações ou condições que as tornavam rejeitadas; as segundas, talvez até 10% da população, iam de mendigos e foras-da-lei até ladrões, trabalhadores diaristas e escravos. Esses Dispensáveis existiam, como este terrível título sugere, porque, a despeito da mortalidade e da doença, da guerra e da fome, as classes agrárias em geral tinham mais classes baixas do que as classes altas julgavam lucrativo empregar. Os Dispensáveis eram, em outras palavras, uma necessidade sistêmica.
Se Jesus era carpinteiro, portanto, ele pertencia à classe dos Artesãos, esse grupo empurrado para o perigoso espaço entre os Camponeses e os Degradados ou Dispensáveis.

Fonte:
(1) Ramsay MacMullen, Roman Social Relations: 50 B. C. to A. D. 384 (New Haven, CT, and Londres Yale Univ. Press, 1974) pp. 17-18, 107-108, 139-140, 198 nota82
(2) Gerhard Lenski, Power and Privilege: A Theory of Social Stratification (Nova Iorque: McGraw-Hill, 1966), pp.189-296.

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

O sacrifício de Jesus



"Era desprezado, e rejeitado dos homens; homem de dores, e experimentado nos sofrimentos; e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum.
Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e carregou com as nossas dores; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido.
Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e esmagado por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados." Isaias 53:3-5

Ame sem esperar recompensa (Augusto Cury)


Parte de entrevista concedida pelo Dr. Augusto Cury à TV Canção Nova.

Sugestões Sobre Como Estudar a Bíblia


Há algumas sugestões práticas que podem ajudar a desenvolver bons hábitos no estudo da Bíblia por toda a vida:

1. Leia, leia, leia! O passo mais importante no estudo efetivo é a leitura do texto. Isto deverá envolver pelo menos dois tipos de leitura: (a) Leitura geral do texto da Bíblia para tornar-se cada vez mais familiar com a mensagem da Bíblia como um todo (um plano bom e prático é ler a Bíblia inteira pelo menos uma vez por ano), e (b) Leitura mais cuidadosa de textos específicos que você estiver estudando.

2. Procure entender o contexto. Um dos erros mais comuns no estudo e ensino da Bíblia é tirar um versículo do seu contexto para interpretá-lo de um modo que vai contra o significado do texto e contra o amplo contexto da Bíblia como um todo. Se você estiver estudando um capítulo, olhe primeiro o livro onde foi encontrado. Se estiver estudando um versículo, leia pelo menos o capítulo que o envolve. Muitos erros serão evitados pela cuidadosa consideração do contexto em cada estudo. Ajuda no entendimento da Bíblia procurar respostas para questões simples, tais como: Quem está falando a quem? Por quê? Quando e onde tudo isto ocorreu?

3. Observe que tipo de texto você está estudando. É uma narrativa que relata uma parte da história da Bíblia? Está o autor desenvolvendo um argumento para explicar ou refutar alguma doutrina? É uma profecia? Contém o texto mandamentos específicos? É uma parábola? É parte do Novo Testamento (que se aplica nos dias de hoje) ou da velha lei (que governava os judeus do Velho Testamento)?

4. Entenda as palavras que você está estudando. Neste ponto, aquele dicionário da Bíblia ou outra tradução pode ser muito útil.

5. Procure auxílio em outras passagens. Muitos dos mais difíceis textos da Bíblia são esclarecidos por mais simples afirmações em relatos paralelos ou similares. A Bíblia é o seu próprio e melhor comentário! Desde que verdade nunca contradiz verdade, é nossa responsabilidade estudar diligentemente para reconciliar as discrepâncias aparentes.

6. Estude para conhecer a verdade, não para defender crenças pessoais ou tradições humanas.

7. Faça anotações. Muitas pessoas acham muito útil o uso de um caderno para anotar as observações sobre o texto, perguntas que elas querem saber, etc. Mais leituras e estudo muitas vezes responderão a dúvidas ou questões, por isso é bom ter anotações que você possa usar para aumentar o seu conhecimento.

8. Lembre-se de que a Bíblia nos dá o que necessitamos, mas nem tudo o que poderíamos querer. A infinita sabedoria de Deus está além da nossa compreensão, e há muitas coisas que poderemos querer saber que não estão reveladas na Bíblia (veja Deuteronômio 29:29). Temos que aprender a contentarmo-nos com o que Deus disse e não devemos nos permitir opinar e presumir para falar onde ele não falou.

O Valor do Estudo Bíblico

O estudo da Bíblia é um trabalho que desafia e dá satisfação, oferecendo muitos benefícios nesta vida, e que ajuda a equiparmo-nos para ficar na presença de Deus eternamente. Somos grandemente abençoados pelo privilégio de nos ser permitido ler e reler a carta de amor que Deus nos deu nas Escrituras. Que nossas vidas e hábitos de estudo reflitam a atitude expressada no Salmo 119:14-17:

"Mais me regozijo com o caminho dos teus testemunhos do que com todas as riquezas. Meditarei nos teus preceitos e às tuas veredas terei respeito. Terei prazer nos teus decretos; não me esquecerei da tua palavra. Sê generoso para com o teu servo, para que eu viva e observe a tua palavra."

Fonte: Dennis Allan

Porque Jesus utilizava de parábolas para ensinar as pessoas?


Uma parte importante dos ensinamentos de Jesus, foi constituída por parábolas. Embora não fosse novidade o uso desta técnica, a análise leva a crer que ele a usou com mais propriedade e em maior quantidade, comparativamente aos outros livros da bíblia.

Este modo de expor tem sido entendido como uma técnica pedagógica, cujo objetivo é apresentar um raciocínio e uma conclusão, por detrás de uma breve narração, facilitando sua memorização e permitindo que o ensinamento de fundo, possa surgir gradativamente na mente dos ouvintes, até a sua plena compreensão.

Pode ser considerada também, como uma forma de deixar escondido um ensinamento para aqueles que ainda não apresentam condições de entendimento e, concomitantemente, evitar um certo desgaste a Jesus, gerado no hábito, comum daquela época e povo, de se discutir a obediência das leis mosaicas. A correta interpretação das parábolas possibilita o fenômeno da sua aplicação universal em todos os tempos, adaptada às situações análogas.

Pesquisas no âmbito da comunicação constataram que o maior obstáculo à compreensão de uma mensagem é a tendência dos homens em pré julgar. Nesse sentido, a parábola possui a grande vantagem de não predispor os ouvintes a censura prévia, facilitando sua assimilação.

A definição de parábola é "narração alegórica na qual o conjunto de elementos evoca, por comparação, outras realidades de ordem superior ou moral". De suas características, surge uma força que leva o ouvinte a refletir sua conclusão. Um bom exemplo de parábola do antigo testamento está em II Samuel 12:1-14, conhecida como "o profeta Natan repreende a Davi".

De maneira geral, a parábola difere da alegoria por ser mais extensa e exigir maior coerência e plausibilidade entre seus elementos. Alegoria é a exposição de um pensamento sob forma figurada (metáfora) ou uma seqüência de metáforas que significam uma coisa nas palavras, outra no sentido. Alguns autores adotam também o termo símile que quer dizer comparação de coisas semelhantes. "Vós sois a luz do mundo" é uma metáfora; "como um cordeiro mudo diante daquele que o tosquia" é um símile. "Em verdade, em verdade vos digo: se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, ficará só, mas se morrer, produzirá muito fruto" [João 12:24] é uma alegoria.

Em comparação com as parábolas judaicas, as de Cristo possuem a diferença fundamental de forçarem o ouvinte a tomar uma posição sobre o assunto. Sua estrutura impele as pessoas a refletirem sobre sua conclusão. Existe um aspecto positivo que parece sobressair em relação aos demais. É seu poder de invadir o tempo e as gerações, despertando o mesmo interesse (senão maior), permitindo sempre que os homens possam ampliar, a cada instante, o sentido dos ensinamentos que transmite.

Fernanda Brum - Espírito Santo


Veja a letra:

Espirito Santo
Fernanda Brum

Composição: Eyshila

Espírito Santo ore por mim
Leve pra Deus tudo aquilo que eu preciso
Espírito Santo use as palavras
Que eu necessito usar mas não consigo
Me ajude nas minhas fraquezas
Não sei como devo pedir
Espírito Santo
Vem interceder por mim

Todas as coisas cooperam pra o bem
Daqueles que amam a ti
Espírito Santo vem orar por mim

Estou clamando, estou pedindo
Só Deus sabe a dor que estou sentindo
Meu coração está ferido
Mas o meu clamor está subindo.

Eu vou seguir com fé - Kleber Lucas



Outra música linda...

veja a letra:

Eu Vou Seguir Com Fé
Kleber Lucas

O meu Deus é maior que os meus problemas
Eu não temerei
Com Jesus eu vou além

Ainda que a figueira não floresça
E não haja frutos na videira
Eu não temerei não!

Eu sei que para além das nuvens
O Sol não deixou de brilhar
Só por que a terra escureceu
UoUoO

A minha vida está em Deus
Eu sei que tudo posso em Deus
É ele que me fortalece!

(Refrão)
Eu vou seguir com fé
Com meu Deus eu vou
Para a rocha mais alta que eu

Eu sei pra onde vou
Como águia vou
Nas alturas sou filho de Deus

O meu Deus sabe tudo que eu preciso
Pra sentir a paz
Dentro do meu coração

Ainda que a Lua adormeça
E não haja o brilho das estrelas
Eu não temerei não

Eu sei que para além das nuvens
O Sol não deixou de brilhar
Só por que a terra escureceu
UoUoO

A minha vida está em Deus
Eu sei que tudo posso em Deus
É ele que me fortalece!

Aos pés da cruz - Kleber Lucas



Linda e inspirada música desse grande cantor gospel.

Veja a letra:

Aos Pés Da Cruz
Kleber Lucas

Meu Jesus maravilhoso , És
Minha inspiração a prosseguir
E mesmo quando tudo não vai bem
Eu continuo olhando para Ti

Pois sei que Tu tens o melhor pra mim
Há um segredo no Teu coração
Oh! Dái-me forças pra continuar
Guardando a promessa em oração

Firme, oh! Deus está ao meu coração
Firme nas promessas do Senhor
Eu continuo olhando para Ti
E assim eu sei que posso prosseguir

Refrão:
E mesmo quando eu chorar
As minhas lágrimas serão
Para regar a minha fé
E consolar meu coração
Pois o que chora aos pés da cruz
Clamando em nome de Jesus
Alcançará de Ti Senhor
Misericórdia, Graça e luz

Teu grande amor não cessa
Eterno não tem fim
Quão grande És Tu Senhor,
Quão grande És pra mim
Tua graça é o meu refúgio
Descanso no Teu poder
Maravilhoso És,
Maravilhoso És pra mim.

Firme, oh! Deus está meu coração
Firme nas promessas do Senhor
Eu continuo olhando para Ti
E assim eu sei que posso prosseguir

terça-feira, 5 de fevereiro de 2008

Anjos



Os anjos foram criados por Deus antes da criação do mundo físico. Muitas vezes a expressão "exército dos céus" refere-se aos anjos: Gen 2:1, salmo 33:6, Ne 9:6.

São seres espirituais portanto, não possuem limitações físicas, nem sofrem influencia da lei da gravidade, podendo locomover-se de um lugar para outro com extrema rapidez. Por serem superiores à matéria, podem tomar forma humana quando assim for necessário: Gen. 18:1-2, 19:1, Js. 5:13-15, At. 12:6-8. São imortais: Lc. 20:36.

Embora, alguns movimentos (ex: Nova Era) nos apresentem os anjos sendo seres com aparência de crianças bochechudas, com cara de sapeca, parecendo frágeis, a Bíblia nos mostra que não é bem assim. Esses seres são capacitados de poder, força e autoridade:


  1. Dois anjos foram enviados para destruir Sodoma e Gomorra (Gen 19:1 e 13)
  2. Apenas um anjo seria suficiente para destruir toda Jerusalém(1 Cro. 21:15)
  3. Um anjo removeu a pedra do sepulcro de Jesus, quando para isso, era necessário a força de vários homens.(Mat. 28:2)
  4. Bastará um anjo para segurar o próprio satanás e amarrá-lo por mil anos (Ap. 20:1-3)
  5. No Livro de Apocalipse, Quatro anjos têm poder sobre os ventos da Terra.(Ap. 7:2-3)

Embora tenham poderes, eles são limitadas (2 Sam 24:16)

Outras características:

  • Possuem sabedoria.(2 Sam 15:20)
  • Louvam e adoram ao Senhor.(Salmo 148-2, Ap. 7:11 )
  • Protegem os salvos (Salmo 34:7) se alegram quando um pecador se arrepende.(Lc. 15:10)
  • Não aceitam ser adorados.(Ap. 22:9)
  • São Curiosos (1Ped, 1:10-12)
  • Conversam entre si (Ap. 14:18)
  • Pelejam contra demônios (Dan. 10:13, Ap. 12:7-8)
Concluimos que os anjos são criaturas celestiais. Em ocasiões especiais sob a autoridade de Deus estão prontos para atuar em favor dos homens.

Traduções da Bíblia para o português


O pioneiro na tradução da Bíblia para o português foi D. Diniz (1279 - 1325). Conhecedor de latim clássico e leitor da Vulgata Latina, traduziu até o capítulo 20 do livro de Gênesis, abrindo caminho para seu sucessor, D. João I (1385 - 1433). Este atribuiu a tradução a padres letrados e o trabalho prosseguiu com seu sucessor, D. João II.

João Ferreira de Almeida

Nasceu em 1628, próximo a Lisboa. Convertido ao protestantismo, iniciou a tradução da Bíblia aos dezessete anos, mas perdeu seu primeiro manuscrito e reiniciou seu trabalho em 1648. Conhecia hebraico e grego, e utilizou-se de vários manuscritos dessas línguas para compor sua tradução. Em 1676, foi concluída a tradução do Novo Testamento, que só viria a ser publicada em 1681, na Holanda, por problemas de revisão. Quando de sua morte, em 1641, já havia traduzido o Antigo Testamento até o livro do profeta Ezequiel.

Seu trabalho foi continuado pelo pastor Jacobus op den Akker, de Batávia, em 1748. Cinco anos depois, em 1753, foi impressa a primeira Bíblia em português.

António Pereira de Figueiredo

Nascido em Portugal em 1725, iniciou a tradução da Bíblia que foi editada em 1819. Baseou sua tradução na Vulgata de Jerônimo, por não dominar outros idiomas, e incluiu nesse trabalho os apócrifos. Essa Bíblia foi muito utilizada em países de língua portuguesa.

Matos Soares

Publicou uma tradução em 1930, baseada na Vulgata Latina, e incluiu os apócrifos. Sua tradução contou também com comentários a favor dos dogmas da Igreja Católica. Por isso, recebeu o apoio papal sendo a sua tradução a mais popular da Igreja Católica.

Comprovando a veracidade do Novo Testamento


Os manuscritos originais (autógrafos) não existem mais, e foram reconstituídos a partir de cópias produzidas pelos primeiros pais da Igreja primitiva, ainda sem denominação. Também foram utilizados nesta reconstituição os livros apócrifos, documentos não bíblicos e comentários documentais dos mesmos pais da Igreja que produziram as cópias. Os originais desapareceram principalmente devido à fragilidade do material utilizado para escrever os livros, e pela ilegalidade do movimento, em seu início, o que implicava em perseguição à Igreja.

A veracidade dos escritos, no entanto, pode ser comprovada historicamente pelos motivos abaixo:

  • Os Escritos de Marcos datam de 50 a 70 d.C.;
  • Vários papiros contendo fragmentos do Evangelho de João foram encontrados no Egito, datando do século II, apenas uma geração após os autógrafos;
  • Os escritos foram redigidos num momento muito próximo aos acontecimentos que os geraram;
  • Existem cerca de 5400 escritos do Novo Testamento;
  • O estilo dos escritos confere com aqueles utilizados no século I (grego coiné)
  • Inscrições e gravações em paredes, pilares, moedas e outros lugares são testemunhos do Novo Testamento;
  • Lecionários, que eram livros muito utilizados nos cultos da Igreja, continham textos selecionados da Bíblia para leitura, incluindo o Novo Testamento (Séc. IV - VI);
  • Os livros apócrifos, apesar de não canônicos, apresentam dependência literária dos textos canônicos, chegando a imitá-los no conteúdo e forma literária, e citam vários livros que compõem o Novo Testamento;
  • Os primeiros pais da Igreja comentam e fazem citações de praticamente todo o Novo Testamento.

Vale lembrar que os Evangelhos, que inauguram o Novo Testamento e contém os ensinamentos de Jesus, o Cristo, foram escritos por testemunhas oculares, à exceção do Evangelho de Lucas.

A Bíblia


* O livro maior é o dos Salmos, com 150 capítulos.
* O livro menor é II João.
* O capítulo maior é Salmos 119.
* O capítulo menor é salmos 117.
* O capítulo 37 de Isaías e o 19 de II Reis são iguais.
* Foram usados três idiomas em sua confecção: Hebraico, grego e aramaico.
* Foi escrita em aproximadamente 1600 anos, por uns 40 autores e contém 66 livros.
* A Palavra SENHOR é encontrada na Bíblia 1853 vezes e REVERENDO 1 vez no Salmo 111:9.
* O verso maior é Ester 8:9.
* O verso menor é Êxodo 20:13.
* O verso central é Salmos 118:8.
* Texto áureo da Bíblia: João 3:16

Diversas
+> A "Epístola da Alegria" , a carta de Paulo aos Filipenses, foi escrita na prisão e as expressões de alegria aparecem 21 vezes na epístola.
+> Quem dá aos pobres, empresta a Deus, e Ele lhe pagará. (Provérbios 19:17)
+> O trânsito pesado e veloz, os cruzamentos e os faróis acesos aparecem descritos exatamente como nos dias de hoje em Naum 2:4
+> A mensagem através de "outdoors" é uma citação bíblica detalhada. (Habacuque 2:2)
+> Quem cortou o cabelo de Sansão não foi Dalila, mas um homem (Juizes 16:19)
+> O nome mais cumprido e estranho de toda a bíblia é Maersalalhasbas - filho de Isaías (Isaías 8:3-4)
+> A primeira citação da redondeza da terra confirmava a idéia de Galileu, de um planeta esférico. Bastava que os descobridores conhecessem a bíblia. (Isaías 40:22)
+> Davi, além de poeta, músico e cantor foi o inventor de diversos instrumentos musicais.(Amós 6:5)
+> O tio e a tia de Jesus se tornaram "crentes" na sua pregação antes de sua crucificação. (Lucas 24:13-18 / João 19:25)
+> O nome "cristão" só aparece três vezes na Bíblia. (Atos 11:26 / Atos 26:28 e I Pedro 4:16)

Sobre a Bíblia:
A tradução grega da palavra Bíblia (biblia (pl.)) significa livros. Seu tempo de composição durou aproximadamente 1600 anos, com um total de 40 autores aproximadamente. Possui 66 livros, divididos em Velho Testamento com 39 livros e Novo Testamento com 27 livros, assim classificados:
Históricos - Gênesis, Êxodo, Levitemos, Números. Deuteronômio, Josué, Juízes, Rute, I e II Samuel, I e II Reis, I e II Crônicas, Esdras, Neemias e Ester.
Poéticos - Jó, Salmos, Provérbios, Eclesiastes e Cânticos dos Cânticos.
Proféticos - (Maiores) Isaías, Jeremias, Lamentações de Jeremias, Ezequiel e Daniel,
(Menores) Oséias, Joel, Amós, Obadias, Jonas, Miquéias, Naum, Habacuque, Sofonias, Ageu, Zacarias e Malaquias.
Evangelhos - Mateus, Marcos, Lucas e João.
Históricos - Atos.
Cartas de Paulo - Romanos, I e II Coríntios, Gálatas, Efésios, Filipenses, Colossenses, I e II Tessalonicenses, I e II Timóteo, Tito e Filemon.
Hebreus, Tiago, I e II Pedro, I, II e III João e Judas.
Profético - Apocalipse.
As divisões da Bíblia facilitam sua memorização. Não se deve pensar que somente os proféticos é que têm profecia, ou só os poéticos só têm poesia, ou os doutrinários (Epístolas) só doutrinas; da mesma forma os históricos não são apenas para relatar fatos, assim como não há muitos fatos históricos. Cada livro da Bíblia deve ser estudado convenientemente para que o seu ensino seja apreendido. Sem dúvida alguma a Bíblia é uma biblioteca extraodinária!

O que aconteceu aos dois ladrões que foram crucificados juntos com Jesus Cristo?


Jesus morreu antes dos outros dois crucificados. Morreu antes devido aos espancamentos (flagelação) terríveis, da desidratação, do stress e do jejum a que foi submetido. O dia da sua morte era um dia muito importante para a religião judaica: “era dia de preparativos para a Páscoa.”
O costume dos romanos era deixar os corpos na cruz após estarem mortos para que fossem vistos e servissem de exemplo. Neste caso, porém, a crucificação se deu numa época muito especial para os Judeus, que pediram que tirassem os corpos de lá, evitando assim que fossem retirados no sábado mais sagrado do ano ou que ainda estivessem lá no domingo de Páscoa. (Quem conhece a cultura Judaica sabe o quanto o sábado é considerado sagrado, a ponto de quase nada ser permitido fazer).
Os romanos, com receio de uma possível rebelião popular, permitiram que os corpos fossem retirados antes que começasse o sábado judaico. ( O sábado para os Judeus começa sempre ao anoitecer da nossa sexta-feira).*
Os dois bandidos ainda estavam vivos. Para acelerar suas mortes foi decidido aplicar o crurifragium, ou seja, quebrar as pernas dos crucificados a fim de que estes ficassem sustentados apenas pelos braços e assim morressem rapidamente asfixiados (por falta de ar). Desta forma todos morreram antes do início do sábado.
As pernas de Jesus não foram quebradas, pois Ele já estava morto. Um dos legionários romanos, para evitar dúvidas, enfiou sua lança no corpo morto do Mestre.

“Era dia de preparativos para a Páscoa. Os judeus queriam evitar que os corpos ficassem na cruz durante o sábado, porque esse sábado era muito solene para eles. Então pediram que Pilatos mandasse quebrar as pernas dos crucificados e os tirassem da cruz. Os soldados foram e quebraram as pernas de um e depois do outro, que estavam crucificados com Jesus. E se aproximaram de Jesus. Vendo que já estava morto, não Lhe quebraram as pernas, mas um soldado Lhe atravessou o lado com uma lança e imediatamente saiu sangue e água.” (João 19:31,34)

"Os judeus tinham ido pedir a Pilatos que se praticasse o "crurifragium", pois era "a vigília de sábado" ... e também o dia de descanso da parasceve. Pela lei judaica os crucificados não podiam passar a noite na cruz (Deut. 21-23). E pelas seis horas começava o sábado da semana da Páscoa, durante a qual estava interdita qualquer execução. A proximidade da grande festa explica a maneira como foram precipitados os acontecimentos do dia - a prisão noturna, o julgamento, a execução e o sepultamento de Jesus, tudo no espaço de poucas horas".

Do livro: E a Bíblia tinha razão ... , Werner Keller, Editora Melhoramentos, pag. 331

Razões pelas quais você deveria ler mais a Bíblia


O texto principal para expressar a grandiosidade da Bíblia se encontra na própria Bíblia, vamos ler este texto no livro de Provérbios 4:4-9 "então, ele me ensinava e me dizia: Retenha o teu coração as minhas palavras; guarda os meus mandamentos e vive; adquire a sabedoria, adquire o entendimento e não te esqueças das palavras da minha boca, nem delas te apartes. Não desampares a sabedoria, e ela te guardará; ama-a, e ela te protegerá. O princípio da sabedoria é: Adquire a sabedoria; sim, com tudo o que possuis, adquire o entendimento. Estima-a, e ela te exaltará; se a abraçares, ela te honrará; dará à tua cabeça um diadema de graça e uma coroa de glória te entregará.", como comprovação deste trecho, podemos observar alguns fatores da histórias, como:

Muitas das grandes personagens da história eram cristãs, e se não eram, de alguma forma foram grandemente influenciados pela Bíblia, em suas obras literárias ou mesmo em sua vida, devido ao fato de que os princípios espirituais nela contidos, são os mais elevados do que os de todas as outras obras existentes, dentre estas pessoas, selecionamos algumas frases notáveis, ditas por elas:
  • Abraham Lincoln: " Creio que a Bíblia é o melhor presente que Deus já deu ao homem. Todo o bem, da parte do Salvador do mundo, nos é transmitido mediante este livro."
  • George Washington: "Impossível é governar bem o mundo sem Deus e sem a Bíblia."
  • Napoleão: "A Bíblia não é um simples livro, senão uma Criatura Vivente, dotada de uma força que vence a quantos se lhe opõem."
  • Rainha Vitória: "Este livro dá a razão da supremacia da Inglaterra."
  • Isaac Newton: " Há mais indícios seguros de autenticidade na Bíblia do que em qualquer história profana."

Caso você não conheça a Bíblia, te faço um desafio, busque estudá-la com fé, que você verá como ela tem um poder transformador que irá revolucionar sua vida em todos os aspectos, pois o propósito para o qual você foi criado com um espírito, é que este espírito foi feito para conter o próprio Deus, você nunca conseguirá ser uma pessoa completamente realizada, pois nada como fama, dinheiro, poder ou qualquer outra coisa, que a sua carne possa desejar, pode se comparar ao gozo de ter uma vida de plena comunhão com Deus, " Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo."(Rm 14:17). Além disso, Deus tem um desejo, um plano, para o qual Ele necessita de homens que o amem e estejam dispostos a pagar o preço (2 Tm 3:12 Ora, todos quantos querem viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos.) de servi-Lo e efetuar este plano. O preço é caro, mais a recompensa é eterna e como podemos ler em 1 Tm 1:15 "Fiel é a palavra e digna de toda aceitação: que Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal." Leia a Bíblia. Que a paz do Senhor esteja convosco. Amém.

 

Carlos Terra | meu contato